Prémio Literário do Médio Tejo

Candidaturas até 29 de junho

Serviços

Edição

Além da edição de publicações periódicas, como jornais e revistas, aposta também na produção de publicações não periódicas, como livros, guias, brochuras e edições especiais para empresas, criando edições em papel e também em suporte digital.

A editora procura revelar anualmente novos autores regionais, nas áreas do romance, poesia e não-ficção, promovendo um concurso literário.

A MTED presta também serviços de edição e revisão de texto: seja de um romance, de uma tese de mestrado ou de um relatório empresarial. Presta igualmente apoio na área da tradução.

Comunicação

Departamento dedicado ao setor institucional e empresarial, criando soluções à medida das necessidades do cliente na criação de textos, conteúdos multimédia e gestão da presença digital, em sites, blogues e redes sociais.

Eventos

Em articulação com a Edição e a Comunicação, este departamento pretende dar resposta à necessidade das instituições e empresas que pretendam criar momentos especiais para marcar ocasiões especiais: os 10 anos de uma marca, o lançamento de um novo produto, a homenagem a uma personalidade local ou a criação de um festival literário, só para citar alguns exemplos.

25 poemas de dores e amores

“Não se consagra entre nós o merecedor mas o eleito. Nunca o profundo, mas o supérfluo. Nunca o sensível, mas o frívolo. E neste quarto escuro vivem atirados os poetas do limbo da eternidade. Talvez destinados a serem descobertos para lá da sua vida, no grito planetário da catedral do tempo que há-de vir. Apetece por vezes gritar na rua. Os poetas maiores são sempre os que não vêm no manual da celebração, porque toda a sua celebração é profunda e esplendidamente interior. Não está no alcance imediato da primeira esquina. Exige argumentos de saber, ternura e atenção. Não colhe maresia e flores campestres em rima de pé quebrado. Fala da raiva do viver e da cortina maior de cavar a terra do preconceito e da mudança. Grita paixão e de certo modo, angústia de não ser. Medo talvez de tudo acabar assim. Nestes poemas há uma força acusatória imensa na proporção exacta dessa jactância dos reguladores de um mediatismo que ele nunca soube ter. Apesar de ser o tal poeta maior.”
In Prefácio de Pedro Barroso

Fechar
×

Cart